segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Pismo Beach - Pacific Coast Hwy - Carmel





Começamos o dia com o tradicional continental breakfast no hotel – destaque para a maquina de fazer waffles instantâneos – e fomos para Pismo Beach. A praia é realmente muito bonita, digna de cenário de filme com cães maravilhosos e seus donos correndo na areia, contando ainda com um píer enorme e que rende boas fotos. O cenário é muito bonito no inverno e deve ser bem lotado no verão. Muitos lugares para alugar bicicletas e até Segways – bem divertido!

Dia lindo na praia.
Cenário de filme em Pismo Beach.
Pismo Beach


Seguimos em direção a San Luis Obispo, uma cidadela no meio do caminho entre LA e SF famosa por suas vinícolas e produções familiares de vinho. Rodamos pela cidade que tem um centrinho bem interessante e fomos em direção a uma rua mais afastada do centro e rodeada por plantações de uvas e representantes das marcas produtoras. Escolhemos uma aleatoriamente – ok, nem tanto, foi a que pareceu mais bonitinha e que tinha sede numa antiga escola da região – e entramos para um famoso wine tasting. Jade, nascida no Havaí e que aprendeu tudo sobre vinhos na Nova Zelandia , foi extremamente simpática e nos convidou para escolher entre dois tipos de degustação: a legal (U$ 5) e a bem legal (U$ 10), que poderíamos dividir para não cair em uma bebedeira pré-estrada. Partimos para a degustação mais requintada, que nos permitiu experimentar seis tipos diferentes e absolutamente maravilhosos em escala crescente, contando ainda com a orientação e simpatia da sommelier e uma vista maravilhosa dos vinhedos da região.

Muitas vinícolas, difícil escolher uma.
Seguimos para uma das partes mais importantes da viagem, a travessia pela Pacific Highway (também chamada de CA 01) em direção a cidade de Carmel. A estrada é inacreditavelmente maravilhosa, com pastos verdes em declive do lado direito e o oceano Pacífico margeando o tempo todo do lado esquerdo com sua costa escarpada. Como se não bastasse, é possível ver, olhando com cuidado e muita expectativa, o respirar – ou nesse caso seria o expirar – das baleias no oceano. Sem brincadeira, é realmente possível enxergar ao longe pequenos chafarizes de quando em quando despontando no meio do mar e ressurgindo mais a frente. É de arrepiar!

Paisagens incrivelmente belas.
Uma parada interessante para quem tem tempo disponível no meio do caminho é o Hearst Castle, uma construção altamente exagerada do milionário do gado e das comunicações da década de trinta. Para quem é fã de Cidadão Kane é parada obrigatória. Independente da cinefilia, o passeio vale muito a pena.

Uma senhora atendente do Hearst Castle nos disse que logo a frente havia um ponto imperdível que nós não poderíamos deixar de ver: a praia dos elefantes marinhos. Achamos que era só uma propaganda de outro ponto turístico da região, mas de toda forma paramos para conferir e, surpresa: logo abaixo de um declive na estrada, uma praia lotada – em torno de 2.000 – de elefantes marinhos selvagens. Animais monstruosos se esquentando no sol e vivendo a vida alheios dos turistas a poucos metros de distância. Para completar o cenário pudemos presenciar um filhote recém nascido, com poucos minutos de vida, se juntar ao bando entre inúmeros outros além de machos enormes demarcando seus territórios e fêmeas.

Supresa do tamanho de 2 mil elefantes marinhos!
Apesar da distância não ser tão grande, demoramos mais 2h para chegar até Carmel por conta da estrada que, como toda costa, é cheia de curvas – imaginamos que fazer este trajeto de moto deve ser uma sensação espetacular para pilotos experientes. Chegando à cidade, mais uma boa surpresa: conseguimos pegar um pôr-do-sol belíssimo na praia e aproveitar o final do dia nesta cidade super charmosa. Carmel é como se fosse uma Campos do Jordão (SP) só que na praia: tem o mesmo requinte, o mesmo cheiro de pinheiro e os restaurantes gostosos só que com vista para o mar. Apesar dos preços um pouco salgados, conseguimos encontrar um cantinho maravilhoso em um restaurante/peixaria do lado direito da estrada, logo antes de entrar na cidade, chamado Sea Harvest Fish Market & Restaurant. O lugar é na verdade uma peixaria altamente freqüentada por locais – o que é sempre um bom sinal – com apenas algumas mesinhas para degustar pratos fresquíssimos preparados por uma família de salvadorenhos. Pedimos uma entrada, pratos principais muito bem servidos – claro, todos recheados de frutos do mar – e bebidas, tudo por U$ 50,00 (incluída a gorjeta).

Por-do-sol em Carmel by the sea
Ainda no mesmo dia demos um estirão até San Francisco, o que foi bastante cansativo. Quando finalmente chegamos, o hotel que havíamos reservado teve um problema e nos encaminhou para outro, chamado Francisco Bay Innhonesto e barato com ótima localização e estacionamento próprio.

2 comentários:

Celina disse...

meus queridos

Cada foto linda! parabéns pela sensibilidade. essa postagem deste período da viagem me encantou e me deixou um gosto de quero saber mais coisas e ver mais fotos.
E a sessão degustação.... que delícia!

Thais disse...

Queridos PARABÉNS pela postagem!
Adorei as fotos, estão lindas! E Ivan...seu texto é delicioso!!!
Continuem....quero mais!
bjos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...