segunda-feira, 22 de julho de 2013

Trekking no Annapurna: Dia 4 - Nepal


DIA 4 – 29/04/2013

Chamje a Dharapani (1.960m) – 5 a 6 horas de caminhada

PROGRAMAÇÃO
Hoje nós entramos na região de Manang, passando por plantações de milho, cevada e batata, além de florestas de bambus. No caminho fica uma vila chamada Tal, localizada num terreno plano próximo à praias do rio na base de uma grande cachoeira. Enquanto caminhamos na trilha, algumas vezes teremos de dar passagem a uma grande caravana de mulas.



MUDANÇA DA ROTA POR CONTA DO ACIDENTE DA GABI:

Jagat a Tal (1.700m) - 4 horas de caminhada 

"Como era de se esperar Gabi acordou sem a menor condição de andar. Havíamos arranjado um carro para levá-la até Tal, a primeira vila do distrito de Manang, e pontualmente as 7h ele estava lá.

Os primeiros raios de sol.


Como despachamos a mochila grande de carro, Prem teve um dia mais leve e Guiam acelerou o passo montanha acima. A boa notícia veio do meu joelho que parou de doer, apesar das dificuldades nas descidas.


Colméias presas no penhasco. Muitos nepaleses se arriscam para conseguir esse mel pendurados em cordas e estruturas de bambu.
 
Saímos de Jagat as 7h15 seguindo o rio envolvidos por uma paisagem fenomenal. Dos dois lados sobem paredões de mais de 500 metros de altura, de onde ocasionalmente escorre uma cachoeira.

Seguimos na estrada até Chamje, onde deveríamos ter dormido ontem. De lá descemos até o rio, para acessar a trilha para Tal. A paisagem de pedra só era colorida pelo verde das plantas de maconha, naturais da região e abundantes no caminho todo.

Uma das muitas cachoeiras do caminho.
O ritmo era intenso e sem pausa em sobes e desces que nos levaram ao pé de um paredão de quase 200 metros. Ali o zigue-zague da subida era bastante íngreme. Curiosamente, no meio do caminho, há um bar.

Mais uma ponte!

Já no alto do paredão avistamos o carro que levou a Gabi, voltando do trajeto e Guiam anunciou que logo também estaríamos em Tal. Passadas 1h30, entrávamos pelo portal que marca o começo do distrito de Manang. Rodei algumas rodas de oração budista para dar sorte e avistamos a cidade plana de Tal, com suas casas e pousadas coloridas à beira do rio.

A vista da cidade de Tal onde o vale faz a curva.
 
Encontrei Gabi descansando e seu pé estava bem melhor, apesar de ainda um pouco inchado. Após o almoço (mais dhal bat) a dona da pousada trouxe mel com alguma substância não identificada para esfregar no tornozelo luxado. Gabi aguentou firme de dor enquanto nosso guia lambuzava sua perna. Esperamos que funcione.

No mais, o dia foi bem preguiçoso, apenas dando tempo ao tempo para o pé sarar."

A colorida e simpática vila de Tal.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ufa! Cada foto iluminada e surpreendente.

EU ADORO MINHA FILHA E O IVAN, O QUERIDO !!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...