quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Trekking no Annapurna: Dia14 - Nepal





DIA 14 – 09/05/13

Kalopani a Tatopani (1.200m): 6-7 horas de caminhada

Programação da agência: 
Para evitar a rodovia recém construída, de Kalopani nós pegamos uma nova rota para Tatopani. O caminho é descida na maior parte. Nós cruzamos a ponte em Ghasa. Conforme nós seguimos para altitudes mais baixas, emerge novamente a floresta subtropical, com vegetação densa. Nós continuamos pela Rupse Chahara (uma cachoeira bem conhecida). Nós evitamos a estrada e continuamos pela margem norte de Kopchepani via Garpar até a ponte em Dana. Em Narchyang Besi, nós poderemos ver uma usina elétrica que fornece eletricidade para a área. Será possível perceber mais vilas nessa área onde nós poderemos acompanhar o dia a dia dos locais. Chegando em Tatopani, nós relaxaremos e tomaremos um banho nas águas termais de lá.


A Gota D’Água
 
"Ontem a noite, durante o jantar, nosso guia continuou com suas inconveniências, cada vez mais exacerbadas e passando dos limites. Brincadeiras ofensivas, folgas demais, fora o tratamento inadmissível com nosso carregador. Fomos dormir com o copo transbordando.
 
Acordamos cedo pois a caminhada de 20km até Tatopani, apesar de descida, seria longa. Pra melhorar a situação, me bateu uma diarréia brava, daquelas que não combinam com longas caminhadas na natureza. Logo na saída de Kalopani reencontrei um velho amigo que não via desde a crise geral da Guatemala em 2007: o Imosec! Os amigos sempre te ajudam nas horas mais difíceis...
 
O cenário de montanha se repetiu por todo o dia, agora com florestas quase tropicais e um calor que nos fez despir todas as roupas. A neve e o frio são lembranças distantes ou mera visão dos picos nevados ao longe – como no começo da viagem.
Estradas no Nepal... Ah que delícia!

Estávamos andando a bastante tempo na estrada quando a ideia era justamente evitar a mesma. Isso nos cheirava à preguiça do guia que nos conduzia pela estrada para não ter o trabalho de caminhar pelas trilhas, mais íngremes e difíceis. Sua justificativa antes de Thorong La era para que guardássemos energia para o dia da passagem. Agora, era pura malandragem.
 
A gota d’água aconteceu quando um rapaz veio perguntar para ele uma informação sobre a trilha que ele havia acabado de omitir para gente e seguido na estrada.

Além de ser pego no pulo, foi extremamente mal educado e agressivo com o rapaz e sua namorada, o que nos constrangeu a ponto de pedirmos desculpas aos dois. Era o ponto final nessa situação já torta desde o começa da viagem.
 
Gabi e eu passamos boa parte da caminhada arquitetando possibilidades para “ejetar” o guia sem implodirmos os 4 dias (já pagos) que nos restam. Ele viu que o tempo fechou pra ele e o então briguento emudeceu o resto do caminho todo.
Gabi filma o rebanho.

Paramos para almoçar em frente a uma cachoeira imensa chamada Rupse Chahara, onde conhecemos um casal de holandeses que está fazendo trekking no Nepal a 34 dias. O detalhe é que eles tem ao menos uns 60 anos. Juro que fiquei com vergonha de tanto reclamar de bolhas e dores no joelho...
 
Lá pelas 15h chegamos à Tatopani, uma vila de beira de rio cujo único atrativo é uma fonte de água termal bem xexelenta. Não deu a menor vontade de entrar...
 
Instalados no hotel pegamos o telefone do carregador e ligamos para a agência que nos contratou o guia. Depois de alguma discussão conseguimos o que queríamos, o mala do guia volta amanhã mesmo à Katmandu e nós seguimos em paz só com o carregador. Um alívio que pode salvar a moral desse fim de viagem...
 
Outro fato curioso foi reencontrar uma menina alemã que não víamos desde o mosteiro budista em Pisang. É engraçado como você encontra/desencontra as mesmas pessoas por todo o percurso.
Gabie está feliz por termos disensado o guia ou por efeito da flora local? 

Com a construção da estrada que liga Pokhara a Jomson, muita gente acaba o circuito ali. Nós, teimosos inveterados, estamos fazendo o circuito completo e já nos tornamos conhecidos entre os mochileiros que estão perambulando como a gente. The brazilian couple, esse é o nosso codinome.
 
Só espero não encontrar nosso guia outra vez. Desse, só distância!"

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...